Ilustração por

Sobre contos e pespontos

Entre um conto e outro, alguns pespontos. Preciso dos pespontos para manter o principal equilibrado e firme. Preciso todo o tempo... Aprendi a pespontar quando a minha mãe me ensinou a fazer flores. Não, não se aprende a pespontar quando se faz flores. Essas apenas me lembram a minha mãe que me ensinou a pespontar os arranjos que a vida nos dá.



sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Meias sete oitavos e as coisas simples

(imagem/autoria desconhecida)



​Calçou meias pretas grossas sete oitavos e botas também negras, enrolou-se num cachecol lã de ovelha. Ficou nua enquanto caminhava para escancarar as janelas e deixar o vento entrar. Reacendeu a antiga vela cor de carne, antes, assoprou para levantar a poeira. Esperou ele se banhar, fazer a barba e passar algum perfume enquanto pensava em álgebra. Bastou um psiu dela e um convite simples. Bastou um leve abrir de asas, enquanto ele, distraído, pensava em troca de óleo.

A vida é muito simples!​


​Suzana Guimarães​