Ilustração por

Sobre contos e pespontos

Entre um conto e outro, alguns pespontos. Preciso dos pespontos para manter o principal equilibrado e firme. Preciso todo o tempo... Aprendi a pespontar quando a minha mãe me ensinou a fazer flores. Não, não se aprende a pespontar quando se faz flores. Essas apenas me lembram a minha mãe que me ensinou a pespontar os arranjos que a vida nos dá.



sábado, 25 de dezembro de 2010

SINE DIE



(desconheço o autor da fotografia)


Caros leitores,

Este Blog só poderá ser encontrado até aqui, temporariamente.

Aos amigos que sei que se preocupam, quero dizer que estou bem. Não estou cansada daqui, nem doente, nem triste, nem deprimida, nem sem tempo, nem sem computador e  nem com ele "dando pau", nem sem inspiração, nem sem vontade de escrever. Vocês merecem a minha satisfação, por isso estou aqui. Decidi fechar a casa, apenas isso.

O Blog ficará fechado sem previsão de volta, mas eu continuarei visitando os amigos, lendo textos, divertindo-me, chorando e sentindo junto.

Suzana/LILY



Nota: mesma publicação, na mesma data, em O Medo De Suzana.


segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

A VOCÊ

arquivo pessoal


A você que por aqui passou, ficou, me leu, me lê. A você que não me leu, fingiu não leu, comeu e bebeu minhas palavras... A você que por aqui passou e me amou, em silêncio, escandalosamente, ou não, a você que aqui veio para descansar, se encontrar, se perder de vez ou somente saber de mim, matar curiosidade. A você, que por você, eu nem quis ter globo em casa, girando, para que você se sentisse à vontade, não vigiado, não controlado. A você que eu dei asas, a você que preencheu minhas lacunas, equilibrou meu desequilíbrio tolo, a você que me deu palavras, que jorrou letras com aguardente em minhas entranhas, que me enlouqueceu e me curou. A você que conheci porque aqui passou, e que cumpriu nosso destino. A você que não me quis, mas retornou dezenas de vezes, a você que me quis, num misto de querer e desgosto, a você que acrescentou sorrisos na agenda da minha alma, que se deu sem medidas ou contou, um para você, um para mim. A você que nada escreveu, nada berrou, mas eu li e ouvi. A você que me busca feito amiga ou alguém de tantas vidas...

fique em paz, esteja em paz, sinta conforto na virada do ano.

Confesso, não gosto dessa época, para mim não haveria dia no mundo para se comemorar, principalmente por obrigação, mas sim, haveria, teria que haver comemoração diária. A festa para mim é hoje, a hora é agora. Não espero os convidados chegarem, como e bebo muitas horas antes, a partir do momento em que entrego meu espírito para a festa.

A você, meu carinho, meus votos de que o ano que está chegando seja o palco, a pista, o caminho para a tua melhor valsa, luta, dança.

                                                  Suzana C. Guimarães



Nota: mesma publicação, na mesma data, em O Medo De Suzana.


terça-feira, 14 de dezembro de 2010

CONTO (mudo) DE NATAL


fotografia, por SCG


sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

ESPERA!

fotografia, por SCG


                                                          Suzana Guimarães

Espera!
Agora eu prendi o cachorro, pode entrar
Espera!
Eu posso me sentar um pouco para lá, para caber você
Espera!
Entenda!
Não parta!

Pega esta jaqueta, e se você sentir frio?
Espera!
Eu não sabia que você podia voar no vento
Eu não sabia que você não é tudo o que eu invento
Espera, fique!
Eu não sabia que se perde na constância do caminho
Espera, um momento!
Está abafada, mas eu abro as janelas, puxo as cortinas
Espera, entenda!


Espera, espera, espera


Pensei que sua roupagem fosse de aguardos
Porque você sempre agua
Porque você sempre arde
Porque você nasceu dos partos


Espera... eu ainda posso lhe dizer que...
                   

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

CÂNDIDOS





O Tuca, do Blog Desinformação Seletiva, http://tucazamagna.blogspot.com/, apresentou-me a SIMONE GUIMARÃES, via e-mail, vídeos e músicas e pediu-me apoio na divulgação do CD Cândidos, novo trabalho dela.

Eu deveria fazer esta publicação no meu outro Blog, O MEDO DE SUZANA, porque, aqui, posto apenas ficção, o que não é o caso, mas sim BELÍSSIMA REALIDADE. Contudo, ainda não fechei a minha última publicação lá e não quero perder a oportunidade de propagar o trabalho dessa moça o mais rápido possível.


Por quê?


Porque eu adorei. Jamais faria algo que contrariasse os meus conceitos, os meus gostos, só por amizade, companheirismo. Recebi o material, li, ouvi e fiquei maravilhada.

Voz forte, limpa, aberta, afinada... Eu não entendo nada de música, só de bom gosto.


Mas há quem entenda, e ela já é conhecida e reconhecida no mundo artístico (Milton Nascimento, Francis Hime, Guinga, Toninho Horta, Novelli, Paulinho Jobim), e eu, humildemente, venho dizer que ouçam BAIÃO BARROCO, COM NOME DE AMOR, PASSAS POR MIM, dentre outras mais.


O Tuca enviou-me a imitação, gravada pela Simone Guimarães, da voz de Cora Coralina recitando "Estrela de Rua". Ao ouvir, chorei.


CÂNDIDOS é o sétimo CD dessa moça (também compositora) que canta composições de Issac Cândido, com letras de diversos poetas do Ceará/Brasil.


A turnê começou em Fortaleza, nos dias 4/12 e 5/12, já passados, porém, segue a agenda para quem queira e possa comparecer:


SÃO PAULO - 7/12 - 20h - Centro Cultural Rio Verde
RIBEIRÃO PRETO - 9/12 - 20h - Teatro Minaz
BRASÍLIA - 15/12 - 20h - Teatro dos Bancários
RIO DE JANEIRO - 21/12 e 22/12 - 20h - Teatro Solar