Ilustração por

Sobre contos e pespontos

Entre um conto e outro, alguns pespontos. Preciso dos pespontos para manter o principal equilibrado e firme. Preciso todo o tempo... Aprendi a pespontar quando a minha mãe me ensinou a fazer flores. Não, não se aprende a pespontar quando se faz flores. Essas apenas me lembram a minha mãe que me ensinou a pespontar os arranjos que a vida nos dá.



sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

ESPERA!

fotografia, por SCG


                                                          Suzana Guimarães

Espera!
Agora eu prendi o cachorro, pode entrar
Espera!
Eu posso me sentar um pouco para lá, para caber você
Espera!
Entenda!
Não parta!

Pega esta jaqueta, e se você sentir frio?
Espera!
Eu não sabia que você podia voar no vento
Eu não sabia que você não é tudo o que eu invento
Espera, fique!
Eu não sabia que se perde na constância do caminho
Espera, um momento!
Está abafada, mas eu abro as janelas, puxo as cortinas
Espera, entenda!


Espera, espera, espera


Pensei que sua roupagem fosse de aguardos
Porque você sempre agua
Porque você sempre arde
Porque você nasceu dos partos


Espera... eu ainda posso lhe dizer que...