Ilustração por

Sobre contos e pespontos

Entre um conto e outro, alguns pespontos. Preciso dos pespontos para manter o principal equilibrado e firme. Preciso todo o tempo... Aprendi a pespontar quando a minha mãe me ensinou a fazer flores. Não, não se aprende a pespontar quando se faz flores. Essas apenas me lembram a minha mãe que me ensinou a pespontar os arranjos que a vida nos dá.



segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

ATÉ QUE MELE


(desconheço autor da fotografia)



                                                              Uma poesia de Augusto Barros


Olhos dilatados

Pele à flor da pele

Me pegue

Me puxe para o seu lado

E não deixe que eu fuja



Língua nos lábios

Sue até que mele

Me pegue

Me jogue para os lados

E não deixe que isso suma


Venha conhecer as poesias do Augusto, clica aqui.

27 comentários:

  1. Passeando pelas casas dos amigos, deparei-me com esta delícia acima... Bom, eu já não suportava mais aquela estrada à minha frente sempre que entrava aqui. E às vezes cansa tanto amor, flor, dor.

    Temos libido também, graças a Deus. Sabe, aquela coisinha sorrateira, que te come pelas bordas.

    Obrigada Augusto por permitir que eu publique tua poesia aqui.

    Beijos a todos!

    ResponderExcluir
  2. Adrenalina, combustível hormonal, mais que normal, vida entrando por todos os poros...

    ResponderExcluir
  3. Deliciosa poesia que transpira desejos, sentimentos, vontades...
    Poesia que respira, que suga o corpo numa vontade de quero mais!!

    Beijos Linda

    ResponderExcluir
  4. Imagina, querida!
    Obrigado por ter gostado tanto da poesia!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oi Lily...
    Quando leio uma poesia assim, fico encantada, pois ainda ao escrever e principalmente postar não consigo me soltar.Adorei, feliz de quem está sendo possuída desta forma tão deliciosa de amar.
    Beijos e que bom que está aqui...

    ResponderExcluir
  6. Poesia na poesia.
    Nascem estrelas.
    A lua minguante sorri marota.
    Eis que abrolha o dia!

    Amei o poema Lily.
    Beijo menina!

    Fernanda.

    ResponderExcluir
  7. Os mais belos poemas são os mais simples. Não gosto de poemas álgebra, em que neles você tem que ficar tentando entender/raciocinar. Poemas são para sentir, mas só doido tira nada da cabeça e mais doido ainda é quem diz que entendeu o nada ou a álgebra, que me desculpem as opiniões contrárias.

    Eu li, senti, me deu desejo, é isso que importa. O Augusto usou palavras simples, mas que nos conduziram de maneira certa ao lugar certo. Ele fez o principal, cabe a nós imaginar o resto, o que é ótimo, isso de não ter que ler o que todos nós já sabemos e os livros de medicina e as revistas pornográficas ensinam/mostram tão bem.

    Não subestimem a nossa inteligência e sensibilidade...

    Beijos a todos e obrigada!

    Suzana/LILY

    P.S.: Fernanda, sim, a Lua minguante sorri marota.

    Néia, talvez você não se solte sozinha para escrever/sentir. O que posso lhe dizer? Vá tentando, quem sabe no meio do teu caminho, quando você já estiver desistindo, apareça alguém ou algo que a leve...e insista, só os insistentes conseguem pegar as melhores frutas no pé.

    ResponderExcluir
  8. Um momento assim é eterno. Nunca some, mesmo distante deixa lembranças.

    ResponderExcluir
  9. "Ele fez o principal, cabe a nós imaginar o resto, o que é ótimo" com certeza é o melhor, poder daí tirar as impressões e deixar a mente fluir. Claro que de vez em quando tem que ter uma pele, mele, enfim... rsrsrs Até mais

    ResponderExcluir
  10. O Blog O TOQUE DE MIDAS

    http://rosarinho12.blogspot.com/

    deseja a todos os seus amigos
    ...
    ...uma semana Feliz!

    ResponderExcluir
  11. Lily; Linda essa poesia, tens razão ele o autor fez o papel principal o resto que quiser que descubra. Há um dia se quiseres vir ao Porto avisa para eu te mostrar a Cidade Invicta como é conhecida.
    Beijos
    Santa Cruz

    ResponderExcluir
  12. Su,

    Esse teu olho é msm danado! Poesia com gosto e cheiro.

    Bjocas e linda semana

    ResponderExcluir
  13. E não tem libido que não mele, lendo isso..

    Que lindoooooooo Su!!
    Já virei fã, pela simplicidade das palavras que ele usa.
    (Não tenho saco pra ler palavras que nem mesmo quem as escreveu entende - um saco).
    Essas suas mãos garimpam pedras preciosas.

    Um abraço imensooooooooo aqui da praia!

    ResponderExcluir
  14. PS:

    Su, olha só como a gente se desvia muitas vezes dos blogs que a gente ia!
    Já era membro das poesias do Augusto.
    Deus, quanto tempo não ia lá.
    Tanta gente pra visitar, que você vai deixando de lado, e de lado...e quando vê, até se pune.
    Você me trouxe a tona os blogs valiosos, que eu deixei de ir.
    Uns, eu não vou mesmo, não gosto por N motivos, e como não sou de fazer jogo social, já viu.
    Mas o Augusto é o CARA.


    Abraços, abraços e abraços!

    ResponderExcluir
  15. Suzana,
    Que bom que apareceu. E com uma poesia simplesmente deliciosa...parece até libinoso lê-la de tão íntima que é. Tenho desse momento também...Saudades de você. Volta e meia vinha aqui e só via aquela estrada. Melhor agora, com esse post super intenso.
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Libido à flor da pele... O Augusto é o cara!
    Uma boa semana! Na Ilha dois dias de chuvas initerruptamente!
    Abçs*

    ResponderExcluir
  17. Oi amiga...voce, comos empre com muito bom gosto com seus posts...esse é outro maravilhoso...

    ResponderExcluir
  18. Poxa gente,
    Obrigado pelos elogios!

    A Lily que é "a cara" !

    hahahaha

    Beijos!

    ResponderExcluir
  19. Eu sempre acho que a poesia precisa ser uma espécie de segunda pele. Ser simples e complexa porque a simplicidade quase sempre é complexa e nem sempre estamos atentas aos seus desenhos. Mas esse poema é pele.
    Quase iria dizendo que é uma excelente forma de começar a segunda, mas hoje é quarta e a lua mingua, mas é segunda no meu íntimo. rs
    bacio

    ResponderExcluir
  20. Querida,
    Voltar assim com todo esse libido são bons ventos.Que delícia.
    Um beijo, com carinho
    Denise

    ResponderExcluir
  21. Oi Lily Querida,

    Saudades!

    2011 para mim ainda nao começou no quesito blogs.Rss.Correria!
    Mas eu tava pesquisando aqui e vi um concurso de poesias e contos que é para brasileiros que moram em Genebra ou na europa, dai me lembrei dos seus maravilhosos.
    te deixo o link:

    http://portugues.agonia.net/index.php/press/13963847/Concurso_Brasileiro_de_Contos,_Cr%C3%B4nicas_e_Poesias_2011.

    Voce tá na europa mesmo né?Rss!
    Bjao.

    ResponderExcluir
  22. Ih, Lily

    Agora que resolvi ie no teu perfil.Voce na no EUA e nao na Europa.Pena!Voce levava esse concurso ne!
    Bjocas.
    PS: Fui No Augusto conferir, mas nao deu pra seguir, o googleFriends ta dando canseira hj.

    ResponderExcluir
  23. Oi,Lilly!

    Obrigada pela atenção, mas lhe digo, eu gostaria de morar na Europa.

    Deixei teu comentário aqui, talvez alguém, residindo lá, se interesse.

    Mais uma vez, obrigada!



    Beijos a todos que por aqui passaram, beijinhos, beijinhos.

    ResponderExcluir
  24. Ai que bom ver-te denovo por aqui!!!
    SAudadessssssssssssss!
    bjossssssss

    ResponderExcluir
  25. Oi Su!! Voltei de viajem dia 28/01.
    Aqui, eu estava vendo o blog do Blue e vi uma pintura que me inspirou muito... ser´´a que posso pegar a imagem de um quadro dele emprestado?

    ResponderExcluir
  26. Um poema assim nos faz ler várias vezes e entrar nele. Vale a pena senti-lo, como se estivéssemos à flor da pele!
    Belo. Parabéns pela escolha!

    ResponderExcluir
  27. Sim Mr. Chapeleiro! Pode usar as imagens que quiser, e obrigado por visitar meu blog.
    Blue

    ResponderExcluir

A caixa para comentários está novamente aberta. Contudo, agora, "os comentários passam por um sistema de moderação. Não serão aprovados os comentários:
- não relacionados ao tema do post;
- com pedidos de parceria;
- com propagandas (spam);
- com link para divulgar seu blog;
- com palavrões ou ofensas a pessoas e marcas;"
- com luzinhas e pequenos corações saltitantes porque pesam a página.