Ilustração por

Sobre contos e pespontos

Entre um conto e outro, alguns pespontos. Preciso dos pespontos para manter o principal equilibrado e firme. Preciso todo o tempo... Aprendi a pespontar quando a minha mãe me ensinou a fazer flores. Não, não se aprende a pespontar quando se faz flores. Essas apenas me lembram a minha mãe que me ensinou a pespontar os arranjos que a vida nos dá.



quinta-feira, 18 de julho de 2013

REZA A LENDA

(Imagem encontrada na Net)
 
 
Rogo aos céus Tsuru...
 
rogo, rogo e eles são todos apenas déjà vu.
 
Roda a saia de papel crepom, roda o véu chanfrado que silencia meu amado.
 
Roda vida, roda, bola, roda a roda da fortuna.
Roga a moça desencantada, a imperatriz desarmada, todo sonho de amada...
 
 
Por Suzana Guimarães
 
 
Nota: Tânia Contreiras enviou a imagem e fez um desafio poético aos amigos...