Ilustração por

Sobre contos e pespontos

Entre um conto e outro, alguns pespontos. Preciso dos pespontos para manter o principal equilibrado e firme. Preciso todo o tempo... Aprendi a pespontar quando a minha mãe me ensinou a fazer flores. Não, não se aprende a pespontar quando se faz flores. Essas apenas me lembram a minha mãe que me ensinou a pespontar os arranjos que a vida nos dá.



sábado, 11 de setembro de 2010

CANTEIRO DE FLOR

fotografia, por SCG



Eu plantei flor em coração que bate, jorrando sangue

Buli a terra morna

Querendo na verdade, tratar o meu terreno

Com finalidade única

de colher em mim

o que eu plantava em ti



Eu queria fazer um buquê

Igual ao que a minha mãe fazia

não em terra morna aguada em sangue



Mas é que ela sabia criar pétalas

coloridos pedaços que ela tingia, queimava, bulia, franzia

Era tanto amor

que as flores pareciam ter odor
 
 
Suzana Guimarães