Ilustração por

Sobre contos e pespontos

Entre um conto e outro, alguns pespontos. Preciso dos pespontos para manter o principal equilibrado e firme. Preciso todo o tempo... Aprendi a pespontar quando a minha mãe me ensinou a fazer flores. Não, não se aprende a pespontar quando se faz flores. Essas apenas me lembram a minha mãe que me ensinou a pespontar os arranjos que a vida nos dá.



quinta-feira, 16 de setembro de 2010

PRÓLOGO



Roda rouca voz na vitrola

Dedo dele rola na roda

Rola pra fora encontra rosa que molha

Dedo dele encosta em rota

Na boca rosa roça na pele grossa

Dedo dele na pétala da rosa desdobra

Dedo roda em volta da rosa que goza


Suzana Guimarães