Ilustração por

Sobre contos e pespontos

Entre um conto e outro, alguns pespontos. Preciso dos pespontos para manter o principal equilibrado e firme. Preciso todo o tempo... Aprendi a pespontar quando a minha mãe me ensinou a fazer flores. Não, não se aprende a pespontar quando se faz flores. Essas apenas me lembram a minha mãe que me ensinou a pespontar os arranjos que a vida nos dá.



segunda-feira, 11 de abril de 2011

ENFIM, aconteceu

ilustração, por R. Meneghini

Tempo, senhor traiçoeiro. Travaram luta, ele e minha alma. Ele queria todas as coisas, agenda completa, bem preenchida, caderno de receitas por ordem alfabética, livros enfileirados, roupas guardadas em degradê de cores. Ele queria cochilos imprevistos, beijos e abraços furtivos, locomoção, desvarios logo ao amanhecer. Ele queria palavras, palavras, um punhado de encher as mãos... Ela, a alma, queria silêncio, diálogo de olhos, perfume no ar. Ela queria esperar o dia certo dos acontecimentos, ela insistia em conjugar o verbo esperar, caminhar, e vivia sonhando, tentando alcançar primaveras eternas... ela também sempre ansiou por palavras, principalmente as mais difíceis.

Travaram luta, os dois. Não fiquei para ver o desfecho, parti para outros combates, ocupada demais, deixei que os dois se entendessem. Luta nem sempre é briga, pode ser dança. Que dancem os dois, então!

Mas o tempo, que não traiu minha alma, apenas a provocou, instigando-a a uma boa luta, traiu meu corpo, na estrada, enquanto eu fazia percursos incompletos, por puro medo dele, dele me alcançar; por isso, o incompleto.

Farei um caminho, o meu caminho, e sequer passarei pela Espanha. A minha rota é certa, longa e demorada. Não sei como estará ele, o tempo, nem minha alma (dela, ando me escondendo), mas com certeza, levarei no coração outros corações, pulmões, dedos em teclados, mãos. Levarei os toques que me deram, os enfeites nos cabelos, os presentes.

Meu caminho tem bilhete de ida e volta e com certeza haverá paradas para um café, ralo, sempre ralo, um pouco de pão, copos d'águas, a troca de nossos risos e até das mágoas.

Em cada parada, deixarei um pouco de mim, pois assim devemos ser, descascados, descascando, passando e deixando, pelo menos, pelo menos, um perfume ainda não inventado, algumas cartas, bilhetes, flores em ramalhetes.

                                           Suzana Guimarães, a LILY.


Nota: mesma publicação, na mesma data, em O Medo De Suzana.

37 comentários:

  1. Simplesmente lindo, querida Lily!!

    Somos um pouco de nós em tudo... Impossível deixarmo-nos para trás!

    Beijo carinhoso!!!

    ResponderExcluir
  2. Dar tempo ao tempo,
    fluir ao sabor dos ventos,
    pousos incertos, mas precisos
    deixando sempre ao passar
    o odor indefectível
    das flores em suas mãos
    o sabor de suas palavras
    com as quais sempre brinca
    nos enleva, nos toca
    nos instiga

    bjos

    ResponderExcluir
  3. Às vezes o tempo parece implacável. Prazos e compromissos nos tomam de uma tal forma, até que algo nos disperte para coisas mais simples e mais importantes que sobreviverão por muito tempo em nossas lembranças.

    Lindo texto.
    beijo.

    ResponderExcluir
  4. Cara poeta, de palavras tão profundas essas que parecem um espelho para mim.
    Flor, estou pegando empresta as duas palavras para coloca-las no perfil do meu orkut e teu nome estara lá como merecio.

    Amei muito este texto.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Traduzindo...

    Tempos atrás, eu comuniquei o fato de que iria me ausentar por motivo de viagem longa e demorada. Pois bem, a viagem não é agora e nem daqui a pouco, mas preciso resolver várias coisas antes de fazê-la.

    Visitarei os amigos, escreverei em minhas páginas, postarei fotografias, responderei às cartas, missivas, "miss"..., mas tudo sem compromisso. É... sou assim, tenho mania de compromisso, tenho mania de levar a sério, apesar do bom humor (graças a Deus!) e de parecer brincar o tempo todo.

    Estarei mais ausente que presente por aqui, mas não deixarei vocês se esquecerem de mim.

    Beijos a todos!

    P.S.: na primeira semana de Maio, completo 1 ano de Blogs. Passarei aqui, com certeza, para distribuir Beijinhos, Suspiros, Bom-bocados, Amor-em-pedaços, Brigadeiros, Olhos-se-sogra (quem quer?), Agarradinhos, talvez até lembrancinhas de final de festa (rs!).

    ResponderExcluir
  6. Amiga Querida,

    Como sempre passar por aqui só nos dá prazer. Estou eu, aqui nas minhas madrugadas insone, e me deparo com estas tuas palavras maravilhosas.Lindas, simplesmente lindas!
    Tenho uma inveja, sadia, de quem bem sabe escrever, eu gostaria tanto de ter este dom, mas não o tenho!Agora....sei aproveitar o que é belo!

    Não demore para aparecer!!!!!!!
    Beijinhossssssssssss

    ResponderExcluir
  7. O tempo é um amigo desses que a gente precisa aceitar como ele se apresenta, mas o problema é que na maioria das vezes, a gente tem essa mania de querer moldar o outro. Eu lembro que quando eu era pequena, ficava olhando para os ponteiros e achava engraçada a sua sina de girar em volta do próprio eixo e lá ia eu girar no meio da sala. Minha mamma achava graça e perguntava "o que está fazendo agora?" e eu dizia "estou tentando ser igual ao ponteiro" e ela me disse "seja você mesma, porque ser igual aos outros é perda de tempo".
    Eu já fui toda organizada, certinha, bonitinha. Mas em algum momento tudo se perdia, se desarrumava e a mesa acabava como agora.
    Quando você se ausenta, eu reviro suas páginas. rs Por isso gosto dos blogs, os pretéritos aqui são possíveis tocar com os olhos e sentir com a pele.

    Ps. Quanto a questão da missiva, eu sei que há o momento certo, mas havia o desejo de respondê-la rapidamente. Ansiedade de primeira vez, ela não se perde de mim. rs

    Meu carinho a você, bacio.

    ResponderExcluir
  8. sempre que venho aqui me emociono com suas palavras…
    espero que mesmo sem compromisso, tenhas sempre algo a nos presentear!

    beijo!

    ResponderExcluir
  9. Suzana,
    Não me vou repetir, pois sou admirador confesso da sua escrita. Mas deixe-me destacar esta passagem: "...passando e deixando, pelo menos, pelo menos, um perfume ainda não inventado..."
    E haverá coisa melhor? É que isso é tanto!

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  10. Ah! A alma do tempo não tem hora para manisfestar-se. E o tempo da alma é agora, presentifica-se e pronto.
    A calma do tempo traz sabores novos, novíssimos, propicia olhares mais intensos, não tensos.
    O templo da alma é aqui, mas um aqui distinto, quase um esqui, deslizante, onipresente, ônix, fênix.

    ResponderExcluir
  11. Su, o simples é tão grande que da medo, mas não há nada melhor.
    Bjocas, sem afastamentos.

    P.S. e da pra esquecer? Como? Um amor de gente!

    ResponderExcluir
  12. Eu também não passarei pela Espanha e falo no sentido literal...rs

    Um beijo, querida.

    ResponderExcluir
  13. Ai que lindo!
    Nossa, coincidentemente, hoje eu ia postar algo sobre o tempo...ai, no meio do caminho mudei de idéia, mas ao passear pela blogosfera, vi diversos posts sobre ele...o tempo!!!
    Muitooooo bom!
    bjossssssss

    ResponderExcluir
  14. Suzana, fizeste bem em sair à francesa da Alma e do Tempo. Vá viajar, amiga, com espaço para curtir os cafés, olhar as nuvens e as pessoas.
    Belíssimo texto.

    PS - Sobre o seu comentário no Absinto, escrever é solitário e como é difícil ficar tão longe dos que amamos, embora tão perto.

    Escrever para mim tem sido assim, às vezes, com um menino de 7 anos ao redor querendo jogar bolas de gude. Acho que vc me entende.

    Beijo grande,

    ResponderExcluir
  15. boa viagem, menina.
    se der, se não for pedir demais, traga-me uma gota e meia de algum perfumezinho não inventado.
    dos baratos, vagabundo mesmo, quanto mais vagabundo melhor, que o vagar à toa sempre acaba nos levando a seguir os rastros de passos nunca dados.

    abraço

    ResponderExcluir
  16. Que doce essa Lily ,Suzana rs
    faz tão pouquinho tempo que paro por aqui , mas o coração já gosta tanto das suas palavras de afeto que esquenta meu coração.
    Volte sim sempre que lembrar, os poetas não podem se isolar, principalmente, quando sabe comover e falar de alegrias comuns, sem milagres.
    Que o seu tempo seja camarada e deixe voce voltar.Brevemente ok?

    beijinhos

    ResponderExcluir
  17. E assim segue arrepiando os caminhos a menina que partiu sem destino. Ela entra no café seguinte e espalha o que tiver a mão, desde amor ao perfume sem cheiro, daqueles que sempre lembramos na memória que nunca descortina se é de Rosmaninho ou Bergamota mas é cheiro... e vai seguindo no seguinte para caminhar caminhando sempre em frente e adiante além nas curvas do caminho do tempo sozinho...

    ResponderExcluir
  18. Com a sua licença gostaria de fazer-lhe uma pergunta - o que você faz com essa intensidade toda que explode? Já sei! Escreve!

    BeijooO*

    ResponderExcluir
  19. Muito mais que queridos... por vocês, eu procuraria uma melhor palavra, uma palavra só que pudesse expressar o que sinto. Vocês estão fazendo poesia para mim, estou aqui, perplexa, pensei que vocês reclamariam dizendo que eu vivo pedindo tempo, fazendo pausas. Talvez seja porque vocês me entendam mais que eu possa imaginar e sabem que desta vez é por falta de tempo, só isso. Nas outras vezes, foi por raiva, desentendimentos, incompreensão, tentativas tolas de montar um castelo nas areias da praia, cansaço, falta de paciência, meu temperamento explosivo (nada fácil), dores para tudo quanto era lado, internas e externas... um muro no meio do caminho e eu em cima dele, andando para lá e para cá, sem saber se pulava pra fora ou de vez pra dentro.

    Mas, desta vez, é por tudo o que tenho que fazer antes de viajar... gente... já me esqueci o que é férias... o que é isso mesmo?

    MALU, eu escrevo em condições que você não possa imaginar...rs! Abstraio-me ou dou uns gritos ou escondo-me no meu quarto, na maioria das vezes.

    VALÉRIA, imagina você a razão de eu amar fazer jiu jitsu? Estou aqui, suada, cansada, escrevendo para vocês, acabei de voltar da aula. Deixei muita força lá, graças a Deus!

    Gosto das noites e nelas visitarei vocês, mesmo que em doses homeopáticas. Depois de tanta poesia, tanto carinho de todos...

    Por que eu não os conheci pelo menos uma década atrás? Sei, sei... porque a vida é assim, mulher vivida que faz graça de menina-moça e que dá uns tapas de homem bem forte e diz na cara de nós que faz o que bem entende, desaforada ela.

    Beijos a todos!

    Suzana, a LILY

    ResponderExcluir
  20. Bom dia Suh!

    Primeiro deixa eu te contar algo, sonhei contigo essa noite, você estava viajando, mas como estavamos na mesma cidade vc se despediu de mim. Conversamos um pouco pessoalmente, o que foi bom, ja que ando sem norte. Com o coração quebrado, machucado, e despedaçado. Foi bom vê-la em sonho e pode conversar um pouco (até minha mãe me acordar e dizer q ja estava na hora de me preparar para o trbalho).

    Quanto ao texto, de fato o tempo anda nos assaltando, sendo muito rápido, intolerante, desumano.
    Também ando me escondendo da minha alma, ela é traiçoeira, ela é inconstante e pulsa diferente da minha razão.


    Beijo,
    Saudades

    P.S. pq tudo de errado tem que acontecer na semana de prova?

    ResponderExcluir
  21. Tbém ando querendo tempo, descanso, um moço de pássaros amarelos que mora no sul do país, menos dores, menos lágrimas, mais emoção cotidiana, e, uma alma que entenda e se encante com o tempo...
    Até para comunicar uma ausência vc é poesia! Mas não deixe de dar notícias do mundo de lá, de cá...
    Abçs!

    ResponderExcluir
  22. Gostei deste texto...diferente...belo! Uma mistura de alfazema e cravos vermelhos!
    E é verdade...o teu perfume chega até mim, enquanto dura a tua ausência!!
    beijocas
    Graça

    ResponderExcluir
  23. Tão bonito sentir as emoções do corpo, mas ainda remeter a essência delas a alma. Sou fã manjada da leveza e brilho dos teus escritos!
    bjs

    ResponderExcluir
  24. La vai voce em mais uma nova aventura? O bom de tudo isso sao as historias que acompanham o processo... Quem viver vera! Quero ler tudinho depois. Beijos. Sempre seu.
    Blue

    ResponderExcluir
  25. fiquei tão emocionada... e feliz.
    ah, tô com sono... vou sonhar com esse texto..fato!
    que me fazer sonhar e eu ler antes de dormir...rs
    beijinhooos

    ResponderExcluir
  26. LILLY

    Já nos encontramos à muito tempo . é bom mantermos as raízes dos amigos


    Vim dizer que tenho para oferecer o selo das 100 Mil visitas que é...NOSSO pois caminhamos juntos...
    um beijo

    ResponderExcluir
  27. "Cara, recebi o livro hoje, na verdade, painho pegou a correspondência ontem à noite e quando chegou eu estava dormindo, então ele a colocou na minha mesa e vi hoje. Já de manhã, enquanto ia pra faculdade, comecei a ler no ônibus. Gostei MUITOO da apresentação, DE FATO, você não poderia ter escolhido ninguém melhor pra falar de você. Talvez, nem você mesmo conseguisse. E o legal foi que como eu já li alguns textos seus no blog, eu lia a apresentação e reconhecia as alusões que ela usou, cada termo me remetia a um poema seu que eu já havia lido". Trecho de uma carta que o Franck Santos, autor do livro "FOGO-FÁTUO", recebeu.

    A MINHA FELICIDADE CUSTA POUCO. Suzana

    ResponderExcluir
  28. Vc, como sempre, Suzana, tão generosa!
    Abçs e muita paz...

    ResponderExcluir
  29. Suzana,

    Caetano canta que o tempo é um dos deuses mais lindos.
    E é.

    Minha flor, a gente que te gosta, sabe que ausente ou presente, você simplesmente É.
    Eu te disse uma vez e nunca vou cansar de repetir:
    Você esta sempre aqui, no meu coração.
    Meu lugar sagrado, meu templo, onde guardo as pessoas queridas.
    Assim tu és.

    Um beijo, se cuida sempre, e que os dias pela frente fiquem azuis.

    ResponderExcluir
  30. Sempre é bom ler-te apesar do sumiço tão propalado.

    Beijo

    ResponderExcluir
  31. Gostei muito deste site e por isso resolvi colocar uma mensagem para conhecimento de todos. Já existe uma maneira de se fazer grampo de celular. Chama-se telefone espião. Você pode encontrar no site www.celularespiao.net

    ResponderExcluir
  32. a despedida do reencontro
    ou talvez a descoberta
    das margens
    ...

    denso, lírico, belo texto.

    abraço carinhoso.

    ResponderExcluir
  33. Oi Suzana,
    mal fiz daqui parte das minhas paragens, e você já está de saída, snif.
    Desejo-te muito boa sorte!

    Beijos,
    Cris

    ResponderExcluir
  34. Su,

    Deixei um email pra você!


    Te gosto imensamente, lindamente.

    Pra sempre!

    ResponderExcluir
  35. Boa noite.

    Feliz Páscoa!!
    Maria Auxiliadora (Amapola)

    Estou lhe seguindo.

    ResponderExcluir
  36. Feliz PáscoAAAAAAAA SU queridaaAAAAA!!!
    BeijosssSSS

    ResponderExcluir

A caixa para comentários está novamente aberta. Contudo, agora, "os comentários passam por um sistema de moderação. Não serão aprovados os comentários:
- não relacionados ao tema do post;
- com pedidos de parceria;
- com propagandas (spam);
- com link para divulgar seu blog;
- com palavrões ou ofensas a pessoas e marcas;"
- com luzinhas e pequenos corações saltitantes porque pesam a página.