Ilustração por

Sobre contos e pespontos

Entre um conto e outro, alguns pespontos. Preciso dos pespontos para manter o principal equilibrado e firme. Preciso todo o tempo... Aprendi a pespontar quando a minha mãe me ensinou a fazer flores. Não, não se aprende a pespontar quando se faz flores. Essas apenas me lembram a minha mãe que me ensinou a pespontar os arranjos que a vida nos dá.



quinta-feira, 21 de outubro de 2010

SOU BALA

(Desconheço autoria da imagem)



Embalada
Em fita
Desembrulha-me
Encosta-me em teu lábio que dispara

Embala-me
Sou bala
Enfia-me na tua boca
Faz língua tola
Revolva-me
Suga-me 
Raspa-me 
Faz-me sentir à toa


Por Suzana Guimarães


Nota: Texto originalmente publicado no extinto blog "Entre Marés", em 14 de outubro de 2010.