Ilustração por

Sobre contos e pespontos

Entre um conto e outro, alguns pespontos. Preciso dos pespontos para manter o principal equilibrado e firme. Preciso todo o tempo... Aprendi a pespontar quando a minha mãe me ensinou a fazer flores. Não, não se aprende a pespontar quando se faz flores. Essas apenas me lembram a minha mãe que me ensinou a pespontar os arranjos que a vida nos dá.



terça-feira, 9 de novembro de 2010

3 selos em 72 h e 1 verso

SELO LUA NOVA


Em 72 h, recebi três selos!

O primeiro selo recebi do Lufe, http://butecodolufe.blogspot.com/. O segundo chegou voando, veio da Lu, http://vivaagora.blogspot.com/. E, hoje, recebo outro, esse gato negro de olhos claros, azuis ou verdes, não importa, mirando-me, debaixo dessa Lua de bruxa em perfeito mistério com o negrume da noite (negrume dos meus desejos). Quem me enviou essa beleza foi a Sandra, http://dajaneladogardenplace.blogspot.com/.

A Sandra nada escreveu sobre regras a seguir. Então, farei uma única homenagem, a um menino de 11 anos que gosta de magias e de ler e escrever. Deve ser meu sangue (o pouco que seja) que corre naquelas veias, naquele coração. O primeiro livro que dei a ele, livro mesmo, com longas histórias infantis, lindamente ilustrado, foi há alguns anos. A mãe dele me disse que, toda noite, após o banho, ele pegava o livro no armário (escondido a sete chaves por causa do irmão menor), e, de pijama, recostado em almofadas, ao lado de luz de abajur, ele lia.

Que você, menino com nome de anjo, leia. Leia sempre (e escreva), pois o teu avô certa vez me disse: "podem lhe tirar tudo nesta vida, nunca a sua cultura. A sua cultura é sua, ninguém lhe toma e nunca pesará, é o teu maior bem."

Dedico então, a meu querido Mr. Chapeleiro, esse selo.

http://contosfabulas2.blogspot.com/


Numa segunda parte desta publicação deixo-lhes um verso:


Ele disse
esperarei sentado
causa mortis
Morreu mofado

(Suzana Guimarães)