Ilustração por

Sobre contos e pespontos

Entre um conto e outro, alguns pespontos. Preciso dos pespontos para manter o principal equilibrado e firme. Preciso todo o tempo... Aprendi a pespontar quando a minha mãe me ensinou a fazer flores. Não, não se aprende a pespontar quando se faz flores. Essas apenas me lembram a minha mãe que me ensinou a pespontar os arranjos que a vida nos dá.



domingo, 7 de novembro de 2010

A TI, PROXENETA DE SI



ilustração, R.Meneghini
 

Prostituídas palavras
que a mim diriges
Perfídia, ruínas de ti
que escambas
Recuso-te
Não te compro
em tuas palavras,
Tu vendes a ti
o que eu a ti diria?
Insignificantes insígnias
irritantes
ínfimas
moedas que me atiras
em tua cisma cafetina
perdes a minha estima
 
(LILY, por Suzana Guimarães)