Ilustração por

Sobre contos e pespontos

Entre um conto e outro, alguns pespontos. Preciso dos pespontos para manter o principal equilibrado e firme. Preciso todo o tempo... Aprendi a pespontar quando a minha mãe me ensinou a fazer flores. Não, não se aprende a pespontar quando se faz flores. Essas apenas me lembram a minha mãe que me ensinou a pespontar os arranjos que a vida nos dá.



segunda-feira, 23 de agosto de 2010

OBS.:

( foto retirada do seguinte endereço: fayerwayer.com.br)




Minhas publicações não acompanham o meu estado de espírito. Nem o meu estado de espírito me acompanha, imagina então os textos.



Por gostar de escrever por entrelinhas, viver por entrelinhas, às vezes, permito-me enviar recados.


Quem não tem pombo-correio, usa a Internet.




Suzana


Nota: mesma publicação, na mesma data, em O Medo De Suzana.