Ilustração por

Sobre contos e pespontos

Entre um conto e outro, alguns pespontos. Preciso dos pespontos para manter o principal equilibrado e firme. Preciso todo o tempo... Aprendi a pespontar quando a minha mãe me ensinou a fazer flores. Não, não se aprende a pespontar quando se faz flores. Essas apenas me lembram a minha mãe que me ensinou a pespontar os arranjos que a vida nos dá.



quarta-feira, 18 de maio de 2011

DOCE HOMEM (III) - ufa! continua...

(imagem retirada da Internet)

Cá estamos nós, novamente nós, e tu ris, tu ris e pouco se importa, palavras, palavras desnecessárias nesta terra árida em que fazemos sombra, mormaço lambido em nossas caras já em riso, em véspera de gozo, neste nosso jogo, silencioso, vaidoso, e eu te pego e te puxo, e te toco. Em que Língua? Doce homem, cá estamos nós e eu lhe digo, ao pé do ouvido, I will die, I will die... silencioso homem doce, eu te leio todo, e toco meu ombro em teu ombro, meus quadris em quase arco, quase ato, e grito I will die, I will die... e tu dispensas línguas e todas as outras Línguas, fazes de mim a caída da pitanga, da amora, framboesa, em tua proeza de laçar minhas ancas e girar-me e fazer-me pluma, tão leve, tão leve, escorrendo, descendo o aclive, subindo aos céus, tão devagarinho, homem doce de gestos certos, homem em ângulo reto, que conheço no toque da pedra dura, homem de poucas palavras, muito riso, bastante juízo pra não me deixar morrer. Não, não me deixar morrer... me vira ao alto, me faz tocar as tuas nuvens, rolando-me, e já nem sinto meu peso, apenas os ventos soprando, soprando, ritmados, no compasso teu, pois agora és tu quem mandas e eu só digo I will die, I will die...


Homem doce, ébano, noite, que desconhece poder da letra, que não se perde em palavras, mal me toca, mal me prende, mas me segura pelo corpo, sem esforço, que fala na minha, na tua, na nossa, qualquer úmida língua, mostra-me que a morte mora entre nós, no meio de nós, esmagada entre teu peito e meus seios, amassagados, minha flor afagada entre teus quadris, exigentes, urgentes, mas lentos feito a morte, feito a sorte de te pegar meu, todo em minhas mãos. Ando sentindo cheiro, cheiro doce, suave, quando repouso minha asa de ave fêmea em teu peito, homem que me faz doce... faça isso, me cala, apaga da minha boca sílabas inúteis, incita-me a uma boa briga, interrompa-me, ressuscita-me em meio às minhas fracas palavras, tão brandas, perdidas na tua força. I will die...


 por Suzana Guimarães



22 comentários:

  1. Fiquei aqui tentando imaginar o olhar desse homem, o toque, a ilusão na pele, o desespero no âmago e o desconforto que todas as palavras causam a ele. A imagem meio que se congela quando chego ao final do texto e de fato não sei o que ele faz. Eu sinto suas vontades, mas creio que ele está entre o passo seguinte e o anterior.

    Hoje estou uma insana atemporal e delirando palavras e sons, e movimentos...

    bacio

    ResponderExcluir
  2. Voltei... rs
    Lembrei de um trecho de um livro quando já tinha saído daqui.


    "- Acabou! – disse alguém por cima dele.
    Ouviu estas palavras e repetiu-as na sua alma. “Acabou a morte – disse para si mesmo – Já não existe.”
    Sorveu o ar, deteve-se a meio da inspiração, esticou-se e morreu". (...)

    A Morte de Ivan Ilitch, Lev Tolstoi

    ResponderExcluir
  3. Saciar a necessidade o desejo antes da morte.
    Mas penso que nunca, não, não vais morrer...

    ResponderExcluir
  4. Que texto!

    Perfeito... excitante...
    Adorei...
    Acredito que todas nós sonhamos com alguém que tenha esse toque, que o corpo reaja, que a pressão seja grande entre os corpos... E que antes de morrer o desejo seja apenas o outro.


    Belo,trágico e excitante...

    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  5. há um ritmo inacreditável
    que leva tanto o barquinho de papel
    quanto a asa delta e depois ainda
    sopra uma brisa cálida de puro frescor
    ...

    Excelente.

    Carinhoso abraço.

    ResponderExcluir
  6. O ritmo em 'DOCE HOMEM' me agrada, me excita. Os textos valem pelo ritmo.

    Sei, eu já escrevi várias vezes, tenho acordo com dona morte, mas, aqui, é a primeira vez, é a primeira vez que, com certeza, eu a uso como metáfora.

    Morte querida e abençoada essa!

    Beijos a todos, obrigada pelo carinho da visita, do comentário deixado, pela saída em silêncio, beijos, beijos...

    ResponderExcluir
  7. ...meoooooooooooo Deus!!!

    que me venha este homem!!!

    beijos, lindeza!

    ResponderExcluir
  8. LilY; Esse homem doce deve ter um olhar terno e de eterna doçura e ternura deve ser um homem muito belo e famosa só por esse doçura que minha amiga descreve.
    Beijos.
    Santa Cruz

    ResponderExcluir
  9. Mulher-poema
    Mulher- desejo
    Mulher e seu homem.
    Mulher vestida de poesia,
    Desabotoa a casa corpo, como reverenciando um universo inteiro.
    Mulher-menina.
    Mulher Lily,
    Parabéns por ter nas pontas dos dedos o néctar de amar e poemar.

    Beijo lindona, amei tua chegada lá em casa.
    Adoro você e você sabe né?

    ResponderExcluir
  10. Ai ai ai, que a mulherada toda da blogosfera vai querer um homem desse e você vai ter que dar conta viu Moça!!!
    Adorei e a imaginação aqui que ja não é nada quieta, viajou.
    BeijosSSSS linda e saiba que adorei a visita ta...sorri!

    ResponderExcluir
  11. Suzana
    Me deliciei com sua escrita e eis que tive a ousadia de pensar no meu doce homem, também cor de ébano, tão bem parecido com o seu...e divagei.Perfeito. Beijos

    ResponderExcluir
  12. Suzanaaaaaaaaa,

    UFAAAAAAAA (III) digo euuuuuu!!

    Me avisa antes de postar as outras partes, pra euzinha aqui colocar um calmante debaixo da lingua hehehehe.

    (sabe que taquicardia na minha idade é arriscado kkkkkkkkkk)

    Beijoooo minha amiga A-D-O-R-A-D-A-!!!

    ResponderExcluir
  13. Nada mais a dizer, a não ser
    esse silêncio quieto do desejo extasiado
    que repousa em cada um com cheiro de amor dobrado, rendido.

    BeijooO*

    ResponderExcluir
  14. Oi Lily
    Só fico triste porque pressinto ficção!
    Ah nao! queria tanto essa sensação de morrer amassagada como flor ,com direito a enlaçar ancas e sussurar doçuras.
    Nao sei qual poeta que disse mas vou repetir:com esse doce homem "presinto que vou ter um terremoto" ... " rsrs
    Inspiração nao lhe falta Lily, depois conta se "realizou" rsrs vamos perseguindo-o.
    bom fim de semana florzinha
    Adorei a brincadeira poética.

    ResponderExcluir
  15. Querida Lis,

    CONTOS DE LILY é ficção, está escrito na caixa de comentários, desde a criação do Blog.

    Mas, eu não entendo muito bem sobre ficção e realidade, eu não sei com precisão onde começa uma e onde termina a outra.

    Prefiro assim, tudo emaranhado, como linhas de tricô já mexidas. Um dia, quem sabe, num futuro, eu venha a me sentar para parar e tentar soltar as linhas.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Aff maria...

    olha vou correr um pouco no parque pra depois voltar e ai sim escrever
    sobre esta...
    confeitaria & confraria das palavras, das línguas, dos sabores úmidos, doce sofreguidão
    apetite e sede de diabético do amor
    que em noite frias o suor se torna rio no dicionário das letras deitada no lençol branco da tela branca do écran
    insulina que vassala o coração pela paixão ...

    então já volto
    pois o sangue precisa correr livre por minhas veias
    Ahhhh Suzana
    Este inverno ta quente aqui no sul
    Hahahahahahaha
    Bjão nina

    ResponderExcluir
  17. Fiquei pensando se a minha "carne" se aquietaria com um homem desses ao meu lado... hummmm...

    Será que existe um caldeirão onde podemos jogar um homem pra se caramelizar e sair doce assim? Onde é o endereço? Lol!

    Eu me mato de rir com os coments da Lis!!!

    ResponderExcluir
  18. Uau, fiquei pensando...
    será que um dia provocarei
    tais sentimentos e reações
    tão intensas à alguma moça.

    Beeeijo com carinho!!

    ResponderExcluir
  19. Ai ai...

    Doce homem que encanta aos poucos e de maneira tão avassaladora, ao mesmo tempo!

    Só você mesmo, querida Suzana!!

    Tem um homem parecido disponível pra mim no pedaço? Hehehe... nem que seja nos sonhos!

    Beijo carinhoso, adooooro você!

    ResponderExcluir
  20. Nossaaaa!! Uauuuuuuuuuu!!!
    Só me resta aplaudir de pé, em pé, em quase arco
    nesse arcado sentir
    nesse grito
    nesse ardido beijo
    gemido e desejo
    onde estremeço os versos
    debaixo da pele
    de leve
    por dentro
    e do inverso de mim
    verto
    fonte
    água de cheiro
    até esmorecer no nosso ímpar de dois.

    Perfeito, Querida.
    Saudades.
    Meu carinho
    Samara Bassi

    ResponderExcluir
  21. uffa Syzana!!!
    QUE PEGADA É ESSA MOÇA kkk
    chegO a suspirar mesmoo...
    incrivel esse homem e tomara
    que exista.(tomara)

    adoro suas visitas lindOna
    ótima semana pra vc...
    meus beijos

    (nate)

    ResponderExcluir
  22. ow flôr.
    releva aí
    teu nome digitadO
    erradO viu?
    "SUZANA"

    BJÃO.

    ResponderExcluir

A caixa para comentários está novamente aberta. Contudo, agora, "os comentários passam por um sistema de moderação. Não serão aprovados os comentários:
- não relacionados ao tema do post;
- com pedidos de parceria;
- com propagandas (spam);
- com link para divulgar seu blog;
- com palavrões ou ofensas a pessoas e marcas;"
- com luzinhas e pequenos corações saltitantes porque pesam a página.